Os dons devem ser colocados a serviço
Agregando Valores

Em pecado, você pode usar seus dons para agradar aos homens, mas não agradará a Deus

Todos nós nascemos com capacidades e talentos naturais. Estes são responsáveis pela facilidade ou prazer que encontramos para realizar certos trabalhos, é uma inclinação, predileção por tais afazeres. Temos como exemplo: as habilidades manuais, de raciocínio lógico, o talento musical, a capacidade espacial, interpessoal, entre outras. Eles nos vêm como dons de Deus, infundidos na pessoa, geralmente transmitidos pela genética ou ao se desenvolver uma prática. São os chamados dons naturais.

Veja também:

Cada pessoa é melhor ou pior em determinada área e aqui não cabe comparação, pelo contrário, é motivo para louvarmos a Deus, que em sua sabedoria nos fez diferentes a fim de que nos completemos em comunhão, na Igreja.

Além dos dons naturais, existem também os dons do Espírito Santo. A respeito deles, São Paulo recomenda: “Aspirai aos dons mais elevados” (cf. At 12, 31). São, de fato, mais elevados, pois vêm de uma realidade sobrenatural, que está acima das realidades terrenas. Trata-se dos dons de Sabedoria, Entendimento, Conselho, Fortaleza, Ciência, Piedade, Temor de Deus – e ainda: Línguas, Discernimento, Fé, Cura e Milagres.

A utilização dos dons

Na utilização dos dons muita gente acaba se confundindo e cai no erro. Primeiramente é preciso saber que os dons do Espírito Santo estão disponíveis para todos os batizados e devem ser usado a serviço do próximo, para a santificação dos membros da Igreja. É nessa hora que existem alguns desvios, pois atualmente vemos muitos que se consideram servos de Deus preocupados em servirem a si mesmos.

Os dons devem ser usados a serviço do próximo

O servo de Deus que apenas está servindo ao seu orgulho, soberba e ganância, buscando os aplausos humanos e os bens materiais, acaba arriscando a sua salvação. Quem busca a sua recompensa na terra, arrisca-se a perder a eterna recompensa do Céu:

“Guardai-vos de fazer vossas boas obras diante dos homens, para serdes vistos por eles. Do contrário, não tereis recompensa junto de vosso Pai que está no céu. Quando, pois, dás esmola, não toques a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem louvados pelos homens. Em verdade eu vos digo: já receberam sua recompensa.” (Mt 6,1-2).

A boa árvore se reconhece pelos frutos (Cf. Mt 12,33) e podemos perceber um verdadeiro servo do Senhor, não pelas belas palavras e a postura que impressiona os homens, mas pela vida de santidade e seus frutos na comunidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *