São John Henry Newman
Meditação

Corrigir outras pessoas não deve ser a prioridade de um cristão

Todos nós somos pecadores cheios de fragilidades, e uma das fraquezas humanas faz com que queiramos corrigir as pessoas, sem antes buscar dar o exemplo, o testemunho de vida. A prioridade de todo cristão deve ser o arrependimento dos próprios pecados e a busca pela santidade.

Veja também:

Antes de olhar para o outro, olhe para si mesmo

O texto a seguir é de são John Henry Cardeal Newman:

“Devemos ter em mente que testemunhar a verdade, alertar e corrigir outras pessoas, não é um dever primário do cristão. Nossos deveres têm uma certa ordem, alguns deles vêm antes de outros, e este dever de corrigir os outros não está entre os primeiros. Nossos primeiros deveres são: crer e nos arrepender de nossos pecados”.

.

“É bem estranho que uma pessoa que mal começou a pensar nas coisas da religião já queira ser ‘algo grande’, como se já tivesse alcançado a santidade, e se tornado um bastião da fé, e comece assim a exortar os demais a voltarem-se para Deus. Apenas com o passar do tempo, à medida que o seu caráter religioso vai se consolidando, e a pessoa melhora no cumprimento de seus deveres, assume, entre suas obrigações, o de dar testemunho de Deus por meio da palavra”.

.

“Difícil dizer quando uma pessoa tem autoridade para corrigir outras; certamente não antes de ter obtido considerável grau de humildade. As evidências dessa humildade pode muito bem ser: a ausência de um sentimento de triunfo ao exortar ou corrigir, a consciência de que você não é melhor do que a pessoa a quem se dirigirá, e que seus próprios pecados mereceriam severa correção se o mundo os conhecesse, o afeto em relação à pessoa corrigida e a vontade de ser corrigida por sua vez, quando merecer. Refiro-me a leigos em todos os momentos. É obrigação do clérigo, por seu ofício, corrigir.” (S. John Henry Newman, 1/ Sermão 12).

John Henry Cardeal Newman
São John Henry Cardeal Newman.

John Henry Cardeal Newman, foi um sacerdote anglicano inglês convertido ao catolicismo, posteriormente nomeado cardeal pelo papa Leão XIII em 1879. Foi beatificado no dia 19 de setembro de 2010 pelo Papa Bento XVI e posteriormente canonizado pelo Papa Francisco no dia 13 de outubro de 2019.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *