Papa Francisco para os jovens
Agregando Valores

Papa Francisco pede que jovens livrem-se do vício do celular

O Pontífice encorajou os jovens “a não terem medo do silêncio e de suas consequências, de estar sozinhos, de escrever o próprio diário”.

Na manhã do dia 13 de abril, o Papa Francisco se encontrou com cerca de 5 mil estudantes do Instituto “Visconti” de Roma, por ocasião do Jubileu Aloisiano, ou seja, os 450 anos do nascimento de São Luís Gonzaga, protetor da Juventude. O encontro aconteceu na Sala Paulo VI, no Vaticano.

Além de rememorar a história do instituto e falar sobre os grandes nomes que passaram por lá, o Papa Francisco deixou um grande ensinamento aos jovens do mundo inteiro.

São Luís Gonzaga, o padroeiro da Juventude

São Luís Gonzaga, padroeiro da Juventude

No encontro, o Papa disse que, no mesmo edifício do Colégio Visconti, encontra-se a monumental Igreja de Santo Inácio, em cujo interior se encontram os restos mortais de São Luís Gonzaga, sobre o qual celebramos o Ano Jubilar pelos seus 450 anos de nascimento. Ele frequentou este mesmo ambiente escolar de vocês. Sobre a vida de São Luís Gonzaga, padroeiro da Juventude, o Papa extraiu alguns aspectos de muita atualidade, como suas importantes escolhas de vida, sem se deixar levar pelo carreirismo e pelo “deus dinheiro”:

“Há tanta necessidade de jovens, que saibam agir desta maneira, colocando o bem comum acima dos interesses pessoais! Por isso, é preciso cuidar da própria interioridade, através do estudo, da pesquisa, do diálogo educativo, da oração e da escuta da própria consciência. Tudo isso pressupõe a capacidade de criar espaços de silêncio”.

O vício do celular

Neste mesmo sentido, o Papa encorajou os jovens “a não terem medo do silêncio e de suas consequências, de estar sozinho, de escrever o próprio diário”.

“Livrem-se do vício de estar no celular! Somente no silêncio interior pode-se ouvir a voz da consciência e distinguir as vozes do egoísmo e do hedonismo”.

Outro aspecto da vida de São Luís Gonzaga, disse o Papa, foi a sua capacidade de amar com coração puro e livre. Somente aqueles que amam podem conhecer a Deus. Na vida afetiva, são essenciais as dimensões da modéstia, da fidelidade, do respeito e da solidariedade com os outros, especialmente com os mais pobres.

O Santo Padre concluiu seu discurso aos estudantes do Instituto Visconti de Roma exortando-os ao voluntariado, sinal de esperança e de generosidade: “Quem não vive para servir não serve para viver”.

Quantos ensinamentos importantes para os jovens do mundo inteiro, não? Compartilhe com os jovens que você conhece!

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *