São Bento
Vida dos Santos

Vida, milagres e morte de São Bento

São Bento é um dos mais populares santos da Igreja Católica, muito conhecido por sua vida, obra, e também por sua medalha, cheia de significado para todos aqueles que a carregam até os dias atuais. Dia 11 de julho é comemorado o Dia da São Bento e hoje vamos saber um pouco mais sobre ele.

Veja também: Frases motivacionais para relacionamentos abençoados.

Vida, milagres e morte de São Bento

Bento nasceu na Itália, no ano de 480, e bem jovem foi estudar ciências liberais graças a situação financeira favorável de sua família, que pode mandá-lo para lá. Nessa época, havia uma grande pressão em cima do Império Romano por conta das invasões dos bárbaros e, indignado, Bento acabou optando por se retirar e manter-se isolado em uma gruta.

Nessa gruta, Bento definiu suas prioridades: a oração e a vida de eremita. Era alimentado por um outro monge, que através de um cesto erguido até o penhasco o mantinha munido de pão para completar a alimentação quase escassa. Dessa maneira, Bento viveu por três longos anos.

São Bento

Durante esse período de solidão, Bento inspirou muitos outros jovens sedentos para cultivar seus valores cristãos que começaram a visitá-lo com grande frequência e em pouco tempo o seu sossego teve fim. Parte dessa experiência fez com que Bento começasse a amadurecer cada vez mais a ideia de fundar um mosteiro, e foi isso que aconteceu.

Quando tinha 40 anos, Bento saiu da gruta e foi para o sul de Roma a fim de fundar o que viria a ser o maior centro da vida beneditina de todos os tempos, o Mosteiro de Monte Cassino. Ali, era seguido o exemplo contrário ao rumo que Bento escolheu para a sua vida no passado. A vida deveria ser comunitária, e não solitária, e sob a direção de um abade.

Dessa maneira, Banto transformou a maneira dos jovens viverem a vida monástica. No total, foram mais de 12 mosteiros fundados por ele ao longo da história, onde cada vez mais famílias enviavam seus filhos jovens para iniciar os estudos e seguir a famosa Regra de São Bento”.

Regra de São Bento

Baseada em ensinamentos escritos por São Bento, essa Regra tinha como finalidade formar jovens cristãos de acordo com os ensinamentos de Jesus Cristo e a prática dos mandamentos. Pensava-se que dessa maneira, com uma vida comunitária e não individual, era mais fácil atingir a perfeição.

Deixando todos bem à vontade, a Regra de São Bento era aplicada e moldada de acordo com a capacidade e limitações de cada um. “Oração e trabalho” era o seu lema principal onde a oração era transformada em trabalho e o trabalho em oração, através da fé e da obediência.

Expansão e consagração

Os mosteiros beneditinos com o tempo se tornaram centros de referência e deles saíram vários nomes e ícones da Igreja Católica. Ao todo, foram 23 papas, 5 mil bispos e cerca de 3 mil santos canonizados. Incrível, né?

As mulheres também tiveram a sua vez e voz dentro da doutrina beneditina e, lideradas pela irmã de bento, Santa Escolástica, tiveram a oportunidade de desfrutar de seus ensinamentos adotando também a “Regra de São Bento” e mais tarde ficando conhecidas como monjas beneditinas.

Após a sua morte, no ano de 547, a imagem e figura de São Bento tornou-se cada vez mais conhecida, o fazendo ganhar o título de padroeiro da Europa”.

Medalha de São Bento

Medalha de São Bento

Um dos maiores e mais conhecidos símbolos e heranças deixadas pelo santo, medalha de São Bento possui significados e simbologia de extrema importância para a Igreja Católica e para todos os seus devotos que a veneram com fé e amor.

As primeiras medalhas foram confeccionadas dentro do Mosteiro Cassino e como símbolo principal levavam a cruz, muito usada por Bento em diversas situações de sua vida, inclusive evitando a sua morte. Para Bento, o sinal da cruz era como um sinal de coisas boas sendo feitas, um sinal de vitória contra o mal e a morte.

A medalha sofreu várias variações ao longo do tempo e nas mais antigas é possível encontrar a figura de São Bento rodeada pela frase em latim “Eius in obitu nostro presentia muniamur” (que a hora de nossa morte, nos proteja tua presença). As medalhas mais atuais têm essa frase substituída por “Crux Sancti Patris Benedict” ou ainda “Sanctus Benedictus”.

Já na parte do verso, encontramos a figura de uma cruz com as seguintes inscrições:

– CSPB: Crux Sancti Patris Benedicti (Cruz do Santo Pai Bento)
– CSSML: Crux Sacra Sit Mihi Lux (Cruz Sagrada Seja a minha Luz)
– NDSMD: Non Draco Sit Mihi Dux (Que o Dragão não seja o meu guia)
– VRS: Vade Retro Satana (Passe Reto Satanás)
NSMV: Nunquam Suade Mihi Vana (Nunca Seduzas minha alma)
– SMQL: Sunt Mola Quae Libas (São coisas más que brindas)
– IVB: Ipse Venana Bibas (Bebas do mesmo veneno)

No ano de 1942, o Papa Clemente XIV aprovou o uso da medalha oficializando-a assim como um instrumento de adoração e devoção de fé, ao contrário do que muitos pensavam ser apenas um amuleto de superstição. Isso ampliou e popularizou ainda mais o seu uso.

Oração da Medalha de São Bento

A medalha de São Bento é um forte símbolo de fé e proteção. Os seus devotos acreditam que quem tem esta medalha de São Bento está protegido contra todo o tipo de inimigo, porque São Bento possuiu, mesmo em vida, a notável capacidade de escapar a todas as ciladas do demônio, protagonizando grandes milagres. Finalizamos o artigo de hoje com esta poderosa oração. Vamos rezar juntos?

A Cruz Sagrada seja a minha luz,
não seja o dragão meu guia.
Retira-te, satanás!
Nunca me aconselhes coisas vãs.
É mau o que tu me ofereces, bebe tu mesmo o teu veneno!
Amém, amém, amém.
A bênção de Deus Todo Poderoso,
Pai, Filho e Espírito Santo,
desça sobre nós e permaneça para sempre.
Amém.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *