A ingratidão nos afasta de Deus e trava a nossa evolução espiritual

Muitas vezes não percebemos o poder de Deus agindo em nossas vidas e quantas graças derramadas, quantos livramentos já recebemos. Com as mentes cada vez mais agitadas e cheias de tarefas, as pessoas não param para pensar em Deus e não entram em oração. Essa correria nos enfraquece, nos tira a paz e prejudica a vida espiritual.

Um casal que serve a Deus junto cresce na fé e no amor

Naturalmente, a vida na sociedade moderna apresenta muitos desafios e todo casal que quer viver a fé vai encontrar dificuldades. O trabalho e as obrigações consomem tempo e, muitas vezes faltam momentos para viver a dois. Pensando dessa forma, o voluntariado na Igreja para um casal pode parecer um peso, mas é exatamente o contrário e você vai descobrir no artigo de hoje.

Em um mundo falador, nossas palavras atrapalham a oração

Com tanta agitação, cada vez mais somos levados pelas palavras e pensamentos acelerados, que roubam a nossa paz e prejudicam toda tomada de decisão e atrapalham a oração. Você já se sentiu com pouco tempo, atolado em atividades que não acabam? Essa é uma tendência do mundo atual que tem adoecido muitas pessoas.

A importância do descanso e do bom entretenimento na sua vida

É importante aliviar as tensões, parar de pensar nos problemas e relaxar um pouco, sempre com discernimento e limite. O entretenimento equilibrado é saudável e nos ajuda a viver melhor. O descanso é necessário e fundamental nas nossas vidas, mas precisamos tomar cuidado para que ele não se torne ocasião de pecado.

Aprendendo a ouvir com São João Maria Vianney

É muito fácil dar ouvidos ao grande barulho que o mundo atual nos oferece. Quantas vezes você já não passou o dia recebendo notificações e se distraindo com os mais diversos estímulos e no fim de tudo chegou à conclusão de que não fez nada útil?

Nova religião sem Deus e discurso pró-LGBTQI+? Pontos polêmicos da Campanha da Fraternidade

Com o tema: “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e lema: “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade” (Ef. 2.14). Segundo a CNBB, a Campanha da Fraternidade 2021 “traz como proposta resgatar a importância do diálogo em meio ao contexto de polarização em nosso país”. Mas será que para acolher, é preciso concordar e abandonar seus princípios?